Marcadores

Culpa, Não!

Nasce a mãe e com ela, a culpa. Mas não precisa ser assim... Com esse slogan, a campanha Culpa, Não! da revista Pais e Filhos me conquistou de imediato.

Que atire a primeira chupeta a mãe que não passou por isso! Impressionante como esse sentimento parece vir atrelado ao amor que sentimos por nossos filhos. Comigo, pelo menos, foi muito assim.

O bebê berra com cólicas – o que foi que eu comi?
Não mama direito?  – ai, usei adoçante ao invés de açúcar.
Demora um pouquinho mais que o normal para dormir à noite? Por que é que fui começar aquela brincadeira agitada tão próximo da hora do sono?

Culpa por não querer fazer mais nada a não ser ficar com o João o tempo todo. E culpa por ter vontade de desempenhar outras funções que não a de mãe dele em tempo integral...

Tudo o que faço é pensando no melhor para ele, sempre. E é claro que muitas vezes eu acerto. Mas bastou uma vírgula não sair como o planejado – ou, pior, apenas imaginar esse cenário - e surge esse sentimentozinho implicante para corroer a consciência.

E é tão óbvio que nós – mães - compartilhamos dessa sensação desagradável que a revista Pais e Filhos lançou essa campanha mega solidária em que podemos dividir um pouquinho do sentimento umas com as outras.

A cada mês é lançado um novo tema e somos convidadas a enviar um texto contando como passamos ou pretendemos agir frente a determinada experiência. É muito bacana ler depoimentos os mais diversos e perceber como cada família encara determinadas questões – e a diversidade de sentimentos e opiniões em relação a elas.


O tema de maio era “Sem culpa de colocar cedo na creche” e um dos depoimentos publicados hoje foi o meu! Para lê-lo na íntegra, é só correr para o site da revista clicando nesse link.

Espero que gostem!