Marcadores

Protetores de berço


Um comentário sobre um detalhe do quarto do João na fan page do Eu e meu Bebê no Facebook no último final de semana me fez lembrar de um assunto bacana para tratar por aqui.

Mais um dos meus dilemas durante a gravidez foi entre usar ou não os protetores de berço. Pra dizer a verdade eu não queria. Achava meio over aqueles “travesseiros” fofos em todas as laterais do móvel. Os laçarotes amarrados nas grades, então, o que dizer? Menininha demais, né? Para agravar a minha implicância, andei lendo alguns textos e assistindo a matérias condenando o uso do acessório, que foi o causador de acidentes – infelizmente alguns fatais – com bebês pelo mundo afora, a maioria deles provocados pelas tiras de tecido usadas como amarração das peças.

Quando escolhi o berço, comecei a cogitar uma mudança de ideia, pois esse modelo específico não aceita os protetores fofos. Nesse caso, as peças são feitas com uma espuma plana, lisa e fina.

Eu queria que a fixação fosse feita com botões de pressão, sem deixar sobra de tecido. Mas na loja onde comprei o móvel não havia a possibilidade de mudar o sistema de fixação, que usualmente é feito pelas tiras amarradas às barras do berço. Os benditos laços... Como minha mãe é uma costureira de mão cheia, conversei com ela, que topou encarar o desafio. Só que eu ainda não estava completamente convencida a fazê-los.  


Protetores de berço convencionais.

Então, mais uma vez a consulta gestante com a pediatra foi crucial – quando eu digo que foi mega esclarecedora, não duvidem! rsrsrs... Coloquei esse assunto em pauta e ela, que deve escutar essa dúvida todos os dias, ponderou o seguinte: “Eu nunca tive um paciente que tenha se sufocado ou sofrido qualquer tipo de acidente causado pelo uso dos protetores de berço. Em compensação, já tive alguns casos de fraturas em braços, pernas e pezinhos de bebês que encaixaram os membros entre as grades do móvel e se prenderam ali, justamente pela falta desse acessório. Sem contar que no inverno essas peças ainda atuam positivamente no conforto térmico dentro do berço, impedindo a entrada de vento.” Pronto, a mamãe aqui estava convencida!  

E foi a vovó executar os protetores de berço do João – que no fim das contas ficaram bem discretos e seguros, na minha humilde opinião. E acabaram até “enriquecendo” a decoração do quarto.


O protetor do berço do João.

Só é importante lembrar de remover esses protetores quando o bebê aprender a ficar de pé, pois ele pode usá-lo como apoio para escalar as grades e acabar caindo do berço. Mas até o João chegar lá eu ainda tenho um tempinho!

E as outras mamães de plantão, tem alguma história sobre os protetores para dividir com a gente?

Imagens: Reprodução e Eu e meu Bebê